Qual o seu objetivo de vida e quais as suas metas?

28/01/2014 13:41

Uma das formas mais fáceis de realmente desistir de tudo é não possuir um objetivo de vida nem tampouco metas que possam quantificar estes objetivos. Ter um objetivo é conseguir definir o que se quer ser, o que se deseja fazer e o que se quer ter, e para fazer com que este objetivo não se transforme em um sonho é que entram em cena as metas com a função de definir parâmetros para alcance dos propósitos. Objetivos sem metas não passam de sonhos.

E você, consegue fazer com que seus sonhos se concretizem? Qual o seu objetivo de vida? Quais as suas metas?

Uma das grandes dúvidas que pairam sobre todos nós é a de conseguir definir exatamente o que se quer. Na verdade às vezes queremos muitas coisas. No mundo, atualmente, voltado ao consumismo exacerbado, onde se prioriza o ter em detrimento do ser, todos desejam tudo, tudo que faça você parecer mais bonito, mais bacana, mais cool, mais inteligente, mais descolado, mais inn, mais jovem, mais forte, mais homem, mais mulher, mais Deus, mais tudo mais que a moda e o marketing empresarial, focado na sociedade de consumo possa lhe empurrar goela abaixo. Ai está o verdadeiro dilema, a grande ambigüidade da maioria das pessoas: conseguir, definitivamente exprimir o que se quer. Ter ou não ter? Eis a questão!

Desta forma, foco no que se quer! Mas o que dará a você a certeza do que realmente você quer? Como você pode saber com uma maior exatidão que aquilo que deseja,o que realmente vai te fazer feliz, vai te completar, que faz sentido você dedicar-se para alcançar?

Propósitos, missão de vida, qual a sua? Você tem uma? Qual o maior objetivo da sua vida? O que justifica a sua existência? Qual o porquê de estar vivo e fazer o que você faz, como faz, onde faz, para quem faz e tudo mais? Muitas perguntas, não? Mas todas são fundamentais para fazer com que você não desista do que quer.

Definir a missão de vida é a prioridade de cada um de nós. Mas como fazê-la? Primeiro é fundamental perguntar: qual o caminho a seguir? O que te orienta? Use a sua missão como sendo o seu “farol alto”. Ela deve te ajudar a enxergar mais longe. A sua missão de vida deve orientar seu comportamento no futuro. Quanto mais clara a sua missão, mais claros e reais serão os seus objetivos.

E como definir a sua missão de vida? Bem, há uma maneira simples e poderosa para definir a sua missão de vida. Vamos dividir por etapas, a primeira é: faça perguntas a si mesmo.

Comece assim:

- O que eu faço de melhor? Como eu faço? Como me sinto fazendo? Quais as responsabilidades que eu assumo frente a minha vida ao fazer?

Após responder a estes itens, vá à segunda etapa, pense em avaliar e continue perguntando:

- Esta missão garante que eu alcance tudo que desejo, tudo que quero? Ela fará com que eu siga em frente persistentemente rumo aos meus objetivos?

Vamos dar um exemplo de como você pode definir a sua missão.

- O que faço de melhor?

- Ah, eu adoro me comunicar, estar com pessoas, na verdade adoro ensinar o que sei e aprender com os outros.

- Como eu faço?

- Bem, em geral aplicando treinamentos, consultorias, em reuniões, seminários e outros.

- Como me sinto fazendo?

- Realizado, completo, útil.

- Quais as responsabilidades que eu assumo frente à minha vida ao fazer?

- A de passar informações relevantes, verdadeiras, que efetivamente façam diferença na vida das pessoas.

Minha missão: ajudar às pessoas a se desenvolverem pessoal e profissionalmente gerando resultados significativos para as suas vidas e para a minha.

Agora é testar a consistência e relevância desta missão. Continuemos nos perguntando:

- Esta missão garante que eu alcance tudo que desejo, tudo que quero?

- Sim, através dela eu posso me satisfazer vendo o progresso das pessoas que ajudei, vendo-as prosperar. E, além disso, consigo me realizar profissionalmente tendo prospecção, resultados financeiros positivos e; pessoalmente, sabendo que pude interferir de modo positivo na vida de alguém.

- Ela fará com que eu siga em frente, de forma persistente rumo aos meus objetivos?

- Claro, ela me parece motivadora, desafiadora, fará com que siga em frente. Com ela conseguirei atingir todos os meus objetivos.

- Ok, missão testada e aprovada!

Bem, desta forma conseguimos passar pela primeira etapa na definição do que realmente queremos. Com uma missão bem definida, clara, que sirva como guia, desistir é algo raro, pois ela dá sentido a tudo. Já com a missão de vida definida, agora é o momento de você pensar no que você quer. Aí vale colocar tudo que deseja. Para facilitar, divida seus objetivos em Pessoais, Profissionais e Financeiros.

Para definir todos os objetivos procure ter como base a sua missão ela orientará a sua largada em busca deles. Quantifique-os, defina datas, métodos de mensuração e prepare-se sempre para a comemoração ao alcançá-los. Sim, comemorar as vitórias é importantíssimo.

Na sua divisão, ao lidar com os objetivos pessoais leve em conta tudo relacionado a você, como relacionamentos, saúde, espiritualidade, a vida em comunidade, dentre outros.

Os seus objetivos profissionais devem estar relacionados à sua carreira, aos negócios, ao empreendedorismo, às parcerias comerciais, enfim, a tudo que se relacione ao mundo corporativo.

Para definir objetivos financeiros, quantifique o quanto quer ganhar, poupar, investir, doar, multiplicar. Seja coerente, foque seus objetivos financeiros, tal quais os demais, tendo metas que sejam específicas, claras, atingíveis, mensuráveis e motivadoras.

Lide com estes objetivos como sendo a sua visão. Eles devem sempre estar orientados ao futuro e continuamente devem andar lado a lado com a sua missão pessoal. Tudo que você fizer para alcançar estes objetivos deve estar relacionado à sua missão.

Agora vamos analisar bem o que falamos até aqui. Um dos fatores preponderantes para não abrir mão do que se quer é saber aonde se quer chegar, ou seja, ter propósitos, ter parâmetros, estes serão os norteadores da sua vida. Uma vida sem objetivos é uma vida vazia, onde nada faz sentido, onde as oportunidades e desafios não têm peso algum; na verdade há um grande vazio, uma lacuna difícil de ser preenchida. E isto não se relaciona, por exemplo, à falta de bens materiais, pois há muitas pessoas abastadas que vivem um eterno vazio, e pessoas sem posses que parecem sempre desfrutar de uma eterna alegria de viver. Tudo está relacionado a ter um porquê na vida.