Gravata, cristianismo e púlpito POR JAMIL ALBUQUERQUE

20/10/2014 23:18

Gravata, cristianismo e púlpito

 

Eu uso gravata praticamente todos os dias úteis de trabalho. Vez por outra vem à pergunta sobre a gravata e o porquê dela ter se tornado um acessório tão aceito no mundo. O uso da gravata é muito antigo e remonta o império Romano, isto é confirmado nos escritos de vários autores. Parece que as primeiras surgiram na Croácia daí em quase todas as línguas terem uma sonoridade parecida. Kovate em croata, cravate em Francês, corbata em espanhol, cravatta em italiano e gravata em português.
Como surgiu?
Naquela época uma pessoa importante após morrer, era feito um busto em pedra para a sua cabeça com o objetivo de homenagear a mente brilhante que fora em vida. Essa obra era feita em cima de um monolítico de pedra granito bruto, apenas cortado de forma retangular e com a mesma altura da pessoa quando viva. Foi uma forma de imortalizar alguém que contribuiu para a ordem social. Após algum tempo, começou se a pensar em uma forma de homenagear uma mente brilhante em vida. Surgiu a idéia de fazer algo que separasse a cabeça do corpo com uma marca. Inicialmente era uma espécie de tira que envolvia o pescoço como se fosse um cachecol. Era usado por pessoas influentes e depois por pessoas comuns e tinha várias utilidades, entre elas proteger contra o frio, limpar as mãos com se fosse um babador ou uma sobre – camisa para enfeite.
Cristianismo
Com a conversão ao cristianismo do império Romano, multidões estavam deixando o paganismo e aderindo ao cristianismo. O clérigo – palavra usada para designar o sacerdote- adotou vestir se igual ao antigo testamento, para diferenciar – se dos leigos. A gravata – que parecia uma estola nossa dos dias atuais- foi uma vestimenta que atendeu esta intenção. E a intenção era mostrar que as funções do homem de DEUS no púlpito eram de a semelhança do que fazia um juiz com as leis, interpretar e explicar a Bíblia.

E o púlpito?
Existe a explicação de que se é baseado no que foi utilizado por Esdras (NE 8.4) que foi um estrado elevado feito para aquele evento ali narrado. O catolicismo construiu toda uma alegoria baseado no trono de Salomão. Púlpito vem do latim que quer dizer local destinado a honra. No francês gerou a palavra La chaire, que quer dizer cadeira do professor, que gerou a palavra cathedra que quer dizer : Aquele que ensina com autoridade.
Terno
Após um determinado tempo, pensou se em fazer um destaque não só para a cabeça, mas para o corpo todo. E a inspiração foi à mesma, a pedra do busto. Não por acaso o terno – que vem de três, por serem compostos de três peças, calça, paletó e colete – os mais aceitos são os cinzas e azul escuros, que lembram a pedra de granito bruto. Por cair tão bem no corpo masculino e por lembrar nobreza ao homem comum, o terno é uma indumentária que é bem aceita no mundo todo.

E você?
Como tens usado a sua roupa a favor da sua transmissão dos seus conhecimentos?