Comunicação: A ponte para o sucesso

16/08/2012 15:55

Comunicação: A ponte para o sucesso.

A idéia de “ponte” me fascina.
Por acaso, em algum momento da sua vida você já parou para pensar a respeito da importância de uma ponte?
Diante de um rio, de um vale, a transposição entre os dois lados é facilmente realizada através de uma ponte.
Ponte, mais do que uma estrutura de concreto que une os dois lados e permite a passagem de pedestres ou veículos, tem sentido mais apurado: representa união, aproximação, elo, ligação, junção, contato, relacionamento, laço, vínculo, convívio.
A ponte é um símbolo de passagem, de transposição de um lugar para outro, de um tempo para outro, de um estado (físico, emocional ou intelectual) para outro. Assim, podemos dizer que:
- O presente é uma ponte entre o passado e o futuro;
- O hoje é uma ponte entre o ontem e o amanhã;
- A mãe é uma ponte para a vida;
- O médico é uma ponte para a saúde e o bem estar;
- O professor é uma ponte para o conhecimento;
- O mestre é uma ponte para a sabedoria;
- O soldado é uma ponte para a liberdade;
- O advogado é uma ponte para a justiça;
- A consciência é uma ponte para o reconhecimento da vida;
- A religião é uma ponte para a espiritualidade;
- O coração é uma ponte para o amor;
- A inteligência é uma ponte para o desenvolvimento;
- Os órgãos dos sentidos são ponte para as sensações;
- O medo é uma ponte para a coragem;
- O olhar é a ponte para o relacionamento.
Mais do que atravessar pontes muitas vezes é necessário um esforço ainda maior, impulsionado pela coragem e determinação ao se perseguir um objetivo ou um sonho, que é o de destruir pontes após tê-las atravessado.
Muitos durante a empreitada desistem diante de qualquer obstáculo e voltam correndo pela mesma ponte que atravessaram.
Massaharu Tanigushi, um líder religioso, disse certa vez que ao tomarmos a decisão de realizar alguma coisa, é fundamental queimar a ponte após tê-la atravessado e que devemos seguir sempre em frente, com a firme convicção de que venceremos infalivelmente. “Ninguém poderá exteriorizar plenamente a sua força se, ao iniciar um empreendimento, deixar preparado um caminho para a fuga, para o caso de encontrar algum obstáculo”, ele disse.
É o mesmo princípio adotado por Júlio Cesar, quando desembarcou na costa britânica com o seu exército invasor, que mandou queimar todos os seus navios, navios que tinham prestado um grande trabalho transportando o seu exército através do estreito e que, no caso de derrota, seriam indispensáveis para a fuga.
É também o que diz Vladimir Maiakowski, um grande poeta russo, em um de seus mais belos poemas: “Só é verdadeiro revolucionário aquele que queima as pontes da retirada”.
A idéia que é simbolizada pela ponte é sedutora, principalmente porque nos impele a refletir sobre o nosso próprio papel de ponte.
Através do nosso trabalho, somos ponte para a nossa realização e o bem-estar da nossa família, além do crescimento da nossa empresa que, por sua vez participa de um contexto ecológico e social.
Através das nossas ações, somos ponte para a construção de um mundo melhor (ou pior), dependendo da ponte que optamos atravessar.
A nossa comunicação é a ponte preciosa e que precisa ser cuidada, pois através dela nós mostramos que existimos que pensamos quem somos, nossa competência, inteligência e nossos sentimentos.
O que proponho é que cada um procure conscientizar-se do seu papel de ponte ou do seu papel de tábua de uma ponte, através da qual, outras pessoas poderão ter uma vida melhor. Construa pontes, destrua alguma quando necessário, e lembre-se da sua comunicação, a ponte que ampliará as suas possibilidades para uma vida plena de realizações (e de prazeres) pessoais e profissionais

Reinaldo Passadori