Como Praticar Um Rh Positivo Na Era Atual

16/10/2011 16:41

Estamos vivenciando um período decisivo para o futuro do RH no Brasil e no mundo, uma espécie de "prova dos nove". 

Lutamos durante anos pelo reconhecimento estratégico das nossas contribuições junto ao ativo intelectual da empresa: pessoas, seus talentos, competências e capital intelectual.

Contudo, a sobrevivência e o avanço das conquistas já realizadas dependerão de um esforço extra por parte dos profissionais de RH. Como o foco da área sempre foi voltado às pessoas, existe uma defasagem de formação profissional no quesito negócios que precisa imediatamente ser resolvida.

Para defender as pessoas e sua constante possibilidade de ampliação da qualidade de vida e qualidade profissional temos que poder participar e discutir de igual para igual o impacto das pessoas e dos investimentos a elas destinados com todas as outras áreas envolvidas no negócio. Seremos cada vez mais cobrados no sentido do retorno sobre investimento.

O profissional de RH do presente e do futuro precisa necessariamente estudar gestão, administração e marketing, ao menos em seus fundamentos. Caso contrário, estaremos sempre em dificuldades para defender nossos investimentos e reivindicações diante das planilhas de Excel que nos são apresentadas e que muitas vezes não nos preparamos para ler.

Se quisermos um lugar estratégico, de destaque, na hierarquia das decisões, precisamos estar preparados para defender nossas idéias tanto diante do marketing, quanto diante do financeiro, etc. E, para isso, precisamos entender como eles pensam e como apresentar nossas idéias em consonância com suas teorias e linguagem particulares. 

Um profissional de RH da era atual tem que ser, necessariamente, um profissional de negócios com foco em resultados através de pessoas.

Isso requer uma reciclagem intelectual, um reposicionamento estratégico e uma maturidade na realização de eventos, palestras, workshops, treinamentos, etc.

 Como você imagina que um profissional de finanças ou marketing se sente participando de uma palestra onde não é respeitado em seu estilo de personalidade?

Infelizmente o mercado está repleto de atividades do tipo circo, que longe de utilizarem o lúdico como recurso concreto de maximizar a mensagem, perdem-se em uma atividade apenas lúdica, disfarçada pela citação de um mini-conteúdo aqui, outro ali. Estas atividades, por mais que, às vezes estejam na moda, denigrem a imagem do profissional e do setor que o contratou e, na análise de retorno sobre investimento, será vista como um custo desnecessário e inconveniente.

Não há nada errado com a utilização do lúdico, ele só não pode ser um fim em si mesmo ou o disfarce para uma total ausência de conteúdo.

Estamos muito próximos de consolidar o RH no topo da hierarquia das decisões, compartilhando com as demais diretorias e gerências o privilégio e o ônus das decisões que mais afetarão os negócios e, por conseqüência, nossas carreiras.

Para praticar um RH positivo na era atual temos que desenvolver uma série de competências essenciais, utilizando um olhar plural e desenvolvendo habilidades e competências multidisciplinares.

Lembremos de nossa missão profissional de promover o crescimento das pessoas e o respeito e a humanização da presença delas nas organizações. Trata-se de uma missão nobre que só poderá ser levada à frente por profissionais altamente comprometidos e com uma clara visão de futuro.

Carlos Hilsdorf