A força da perseverança

12/03/2013 22:17

“Sonhos são como deuses: se não se acredita neles, eles deixam de existir.” 
Antônio Cícero 

A força da perseverança 

Quer você queira ou não as dificuldades e tropeços da vida sempre existirão. Por mais preparado que você acredite estar em algum momento da vida vai se encontrar em um beco sem saída, e o pior é que pode ter se preparado muito para a “corrida de sua vida” e de um instante para outro ver suas chances reduzidas a zero. 
Não existe uma única pessoa na vida que não tenha ficado desapontada devido a expectativas não atingidas , as coisas nem sempre funcionam como planejamos ou sonhamos. Obstáculos inesperados, eventos não programados ou a ocorrência de circunstâncias fora do nosso controle podem fazer nossos sonhos irem por água abaixo. É incrível como nossas esperanças podem desaparecer depois da dor do fracasso, do constrangimento ou do desânimo 
Quantos desistem frente aos fracassos. Quantos se ressentem, amarguram e desistem quando encontram dificuldades. 
Problemas. Quem não os tem? 
A diferença fundamental entre quem vence e quem perde está em como encaram seus fracassos. E mais, como aproveitam as lições que a derrota momentânea lhes deu. 
Mais importante que ganhar é completar a corrida , jamais esqueça que a vida não é composta de uma única corrida e sim de várias, perder uma não lhe dá o direito de desistir. 


Nas olimpíadas de 1992 em Barcelona na Espanha estava para ser dada à largada da semifinal da prova de 400 metros rasos masculina, a disputa prometia ser acirrada. 

Entre os corredores estava um jovem inglês de nome Derek Redmond. Seu sonho era provavelmente o mesmo dos demais competidores que se alinhavam na linha de partida: Vencer. 

Depois de dada a largada os competidores disputavam passada a passada à vaga para as finais. Derek vinha com boas chances de classificação, seriam segundos decisivos na vida de quem treinou muito, se preparou, passou dor e cansaço, mas estava ali para fazer valer o esforço de uma vida de dedicação. 

Mas antes de sabermos o que aconteceu é preciso voltar no tempo para entender melhor a sua história , a sua dor e a sua glória, a sua derrota e sua vitória, o esporte é a poesia dos músculos, a prosa da mente em concentração, o apogeu de um corpo preparado pra sofrer o que for preciso, a dor é só um preço a ser pago com lágrimas suor e sangue. 

Porém, Derek tinha um motivo especial , após as olimpíadas de Seul em 1988 , quatro anos antes , ele havia passado por cinco operações em ambos os tendões de Aquiles, tendo conseguido se recuperar em tempo recorde , voltar á treinar , se classificar nas eliminatórias e finalmente poder estar correndo com os melhores atletas do mundo atrás de um sonho. 

Foi aí que aconteceu um desastre. Ele sentiu uma dor aguda na parte posterior da perna , pouco depois da largada , seu tendão direito havia se rompido e Derek caiu com o rosto no chão, era o fim da corrida para ele , o sonho lhe tinha escapado por entre os dedos e agora lhe restava apenas a dor. 

As câmeras não focalizaram Redmond caído mas o campeão Steve Lewis que completou a prova em 44s50. 

Determinado a concluir a prova esse atleta se levanta com muita dificuldade e saltando sobre um dos pés retoma a corrida, obviamente sem a menor chance de classificação. Neste momento o seu pai, Jim Redmond , 49 anos, sentado no alto da arquibancada, que viu seu filho cair , desceu imediatamente até à pista , tudo que ele viu foi seu filho precisando de ajuda e lá estava ele para faze-lo. 

O público sentiu que Derek Redmond estava participando não só de uma corrida olímpica, mas da corrida de sua vida. Todos se ergueram e aplaudiram de pé com entusiasmo aquele momento heróico , na última volta o pai colocou seu braço em volta dos ombros do filho e correram juntos , Derek encostou sua cabeça no ombro direito do pai e chorou como uma criança , um dos fiscais ainda tentou intervir e retirar o pai da pista, mas não conseguiu. 
Eles cruzaram juntos a linha de chegada, pai e filho, abraçados , uma lição de compaixão aplicada diante de milhões de espectadores. 

A multidão em pé começou a aplaudir ao perceber que Derek estava participando da corrida de sua vida. 
Adaptado do livro "Meditações Diárias para Casais", de Dennis e Bárbara Rainey

Roberto Recinella